KISS principle – A teoria nada batida do menos é mais

Na semana passada tive o prazer de conhecer uma nova colega de trabalho.

Entre diversos papos que já tivemos, um termo me chamou a atenção: KISS.

Sim, a palavra refere-se a beijo na língua inglesa, mas também pode ser usada como sigla para “Keep it simple, stupid”, um trocadilho que também pode ser utilizado para o princípio de um beijo “Mantenha simples, estúpido”.

Não existe para esse princípio uma metodologia estudada e testada, não, até porque isso fugiria do princípio em si, aqui utiliza-se o bom senso para que as pessoas se permitam a chegar nas soluções mais simples possível.

Se valendo do KISS, retiramos tudo de complexo e não primordial dentro de um projeto, e em minha experiência com consultoria posso afirmar que o que não faltam nos projetos implementados por aí são requisitos supérfluos, que de nada agrega de fato a entrega e conclusão de um projeto e ainda pode se tornar um gargalo durante sua execução.

Um exemplo disso foi uma vez em que participei de um projeto certa vez, um escritório de gerentes de projeto, uma grande empreitada de uma grande empresa nacional, uma das maiores, com um projeto estratégico em atraso, muita pressão, e o nosso trabalho era fazer o gerenciamento do mesmo, que se dividia em muitas áreas. Apesar das características do projeto, a maior parte da nossa semana era consumida em gerar um status report, algo em torno de 2 dias por semana. Tudo isso porque o material de report tinha muitos links internos.

Agora hoje, quase 3 anos depois, quem se lembra que aquele report tinha links que levavam 2 dias de 6 recursos sênior para ser gerado? Ninguém. Aliás na própria semana que o status era enviado, ninguém se importava com aquilo, e com certeza muitos dos que o recebia sequer o lia.

Algo mais simples permitiria que os profissionais envolvidos conseguissem focar em coisas que fossem mais importantes, como definições de escopo, implementação de metodologias ágeis para facilitar os processos e desenvolvimento, criação de indicadores mais interessantes para área…

Muitas vezes me pego pensando no tempo que gastei fazendo coisas que simplesmente não eram necessárias? Deixei de criar e me envolver com atividades que teriam resultado em ganhos maiores pelo simples fato de querer fazer mais e mais, e não necessariamente melhor. Hoje prezo pela simplicidade, um status report não pode demandar mais do que duas horas semanais, se algo está fugindo disso é porque existe algum problema nos processos relacionados a gestão e talvez o KISS possa ajudar.

Complementando, pensadores já defendiam esse princípio a muito tempo, são exemplos as máximas de Leonardo da Vinci “Simplicidade é o último grau de sofisticação”, Mies Van Der Rohe “Menos é mais”, Albert Einstein “Tudo deve ser feito da forma mais simples possível, mas não mais simples que isso”, de Antoine de Saint-Exupéry “A perfeição é alcançada não quando não há mais nada para adicionar, mas quando não há mais nada que se possa retirar”).

Então que tal tirar tudo o que consome tempo de forma desnecessária na sua vida e trabalho? Faça um teste, anote tudo aquilo que não for importante e que deixou de fazer, com o tempo que gastaria com aquilo, e depois analise se sentiram falta disso, você vai se surpreender com o tempo economizado e com a quantidade de outras coisas que passarão a ser percebidas no seu dia a dia.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo