Caso de Sucesso #001 – Spotify: como está implementado o Scrum em uma das empresas mais ágeis



Passando por diversas empresas brasileiras nos mais distintos setores, já vi diversos tipos de gestão, e tentativas mil de se inovar ou utilizar metodologias adaptadas.

Certa vez conheci um profissional que liderava uma equipe e estava entusiasmado, pois tinha conseguido implementar a metodologia agile em seu dia a dia. Logo me empolguei para conhecer o seu dia a dia e como tinha conseguido fazer a estruturação. E ele de pronto me levou até sua equipe.

Ali ele me mostrou uma parede com uma cartolina, dividida em 3 colunas: Pendente, Fazendo e Feito. O silêncio foi seguido do seu largo sorriso dizendo: tá aqui, não perdemos mais tempo e só fazemos o que está no quadro.

Então questionei-o sobre as reuniões, controles, sprints, squads… E ele fez uma cara de: “o que ele tá falando?”, naquele dia eu fiquei parecendo louco.

Ser ágil está se tornando pré-requisito no mercado de trabalho, principalmente em empresas que atuam com softwares, porém as pessoas estão realizando implementações sem nenhum tipo de preparo prévio, assumindo que um kanban ou uma daily meeting são suficientes para dizer que seu projeto é ágil.

Pensando nisso e utilizando o maravilhoso artigo e imagens do site full-stack agile (link do artigo original no final da página) compartilho com você qual seria o modelo de atuação agile, como é estruturado, suas principais personas, atividades e ganhos.

“Não corrija o produto, corrija o processo”

Vamos olhar um exemplo de empresas que falharam ao avançar na tecnologia e algumas que abraçaram com força essa nova era.

Escalabilidade é um dos grandes motivos de se falhar em tecnologia, empresas, grandes ou pequenas, que não são facilmente escaláveis, imagine abrir uma empresa com 5 funcionários que fazem de tudo um pouco para realizar sua entrega, em um primeiro momento parece perfeito, mas com o tempo esse modelo se torna insustentável. A falta de papéis e responsabilidades logo gerará um conflito de identidade da equipe.

Agile permite que você tenha times com responsabilidades bem definidas cobrindo um produto do planejamento a entrega conforme imagem abaixo:

Essas equipes podem ser denominadas de diversas formas, a mais famosa é Squad, termo criado e utilizado pelo Spotfy, para acabar com o estigma de time de desenvolvimento, que pelo nome, parece conter apenas desenvolvedores, mas que na verdade contém pessoas com perfis diversos e responsabilidades distintas. Outros nomes utilizados são:

  1. Crew

  2. Party

  3. Unit

  4. Faction

  5. Troop

  6. Lineup

Também foi introduzido pelo Spotfy os termos “Tribos”, “Capítulos” e “Guilds”, que em agile podem possuir outros nomes, mas que conceitualmente se resumem a tornar os colaboradores ownerships, dando maior independência e dinâmica as equipes.

Crescendo o Spotfy

Abaixo um exemplo da estrutura do Spotfy:

O Spotify dividiu suas equipes em unidades muito pequenas. Cada unidade cuida de determinada funcionalidade do seu aplicativo, possuindo um PO (Product Owner) próprio, que é o responsável por alimentar as equipes com as histórias dos usuários que deverão ser desenvolvidas. Cada Squad possui autonomia por escolher, desenvolver e implantar em produção alterações no software. Não se preocupe, até o final do artigo você vai entender cada item descrito acima, eu prometo!

As Squads no Spotify são agrupadas em tribos, que são áreas de negócio, por exemplo, para o aplicativo mobile existe uma tribo de mobile, formada por diversas Squads, que possuem domínio sobre determinada função do app. Cada tribo possui um líder de tribo, esse líder é responsável por garantir o ambiente propício para existência das Squads e promover a devida interação entre elas, podendo estipular encontros periódicos para que possam compartilhar trabalho e experiências.

Para fomentar o compartilhamento de ideias, tecnologias e inovação, o Spotify ainda criou os Capítulos, estes são formados por profissionais com o mesmo escopo de trabalho, exemplo, desenvolvedores, que estejam em uma mesma tribo, mas em Squads diferentes, podem possuir reuniões periódicas ou fóruns para compartilhar duvidas e soluções de problemas.

Por fim, mas não menos importante, as Guilds. Elas são formadas por pessoas chave que estejam espalhadas entre as tribos e squads, esses grupos possuem um coordenador, e são grupos que compartilham conhecimento, metodologias e ferramentas.

Como implementar no seu time o mesmo modelo do Spotfy?

Atualmente as empresas vem nascendo com Scrum em seu DNA, porém empresas já consolidadas que trabalha com metodologias mais tradicionais de gestão de projetos, tem dificuldade muitas vezes em fazer a transição para o Scrum, devido a dificuldades culturais.

A mudança não precisa ser abrupta, e feita por partes pode ocassionar um verdadeira quebra de paradigmas, colocando a sua empresa em uma outra posição e momento.

Compartilho uma forma de dividir a implementação do Scrum abaixo.

Renomeie seus times / Squads

Como dito acima, uma boa maneira de mudar o estigma de que sua equipe de desenvolvimento é composta apenas por desenvolvedores, é alterando o seu titulo de “Equipe de Desenvolvimento” para Squad, ou qualquer outro nome sugerido acima, ou até mesmo um nome próprio definido por você, o importante aqui é permitir que as e permitir que seus times sejam vistos como verdadeiros ecosistemas, compostos por perfis complementares.

Uma Squad é formada por 5 a 10 pessoas, abaixo compartilho as príncipais personas dentro de uma Squad.

Capítulo

Uma empresa nos moldes tradicionais possuí gerentes que são responsáveis por equipes que cuidam de determinado tipo de trabalho/serviço. Esse modelo dentro do Scrum não é dos melhores, uma vez que se preza por equipes multidisciplinares, fica complicado garantir a dedicação e comprometimento com a Squad.

Por isso a criação de Capítulos / Chapters se torna importante, para que pessoas com o mesmo perfil de trabalho possam ter sim um relacionamento e troca de conhecimentos, porém sem a figura de um gerente, este pode substituido por um líder, alguém com maior experiência que poderá orientar os demais, sem de fato exercer sobre ele um papel de chefia, mas sim de orientador, mentor, coach.

Guild

No caso das guilds, temos um desafio maior, pois elas dependem da motivação dos envolvidos para que sua dinâmica funcione, conheço muitos amigos Scrum Masters que atuam em grandes projetos que não aderiram a guilds por exemplo, devido a dificuldade do devido envolvimento e produtividade da mesma.

Uma boa estratégia é iniciar com um pequeno grupo que possa focar em assuntos que sejam do interesse de todos e que possa ter resultados rápidos, que motivem a equipe a buscar outros assuntos e trabalhar em cima deles.

Você pode gameficar seu processo de Scrum para motivar a equipe a desenvolver-se cada vez mais, e assim assumir maior responsabilidade pela manutenção, para isso vale a pena conferir um como mais de como gamificar o ambiente de trabalho, esse alias será assuntos de posts futuros.

Tribos

As tribos são recomendadas apenas para empresas que possuam grandes sistemas que se dividam em diversos front ends. Não faz sentido, criar tribos, quando seu produto se limita a uma unica plataforma, os modelos citados acima já são bastante propicios para esses casos e poderão surtir um efeito muito maior e positivo sobre a companhia enquanto a tentativa de implementar o conceito de tribos em equipes pequenas, poderá resultar em dificuldades de entendimento das responsabilidades e deveres de cada squad formada, pois muitas vezes os escopos poderão gerar conflitos.

Para finalizar…

O caso de sucesso do Spotfy é resultado de uma empresa que nasceu ágil, mas não impede que empresas com perfis mais tradicionais não possam se tornar uma empresa ágil também.

Saber identificar o perfil dos seus profissionais e da empresa é primordial para realizar a mudança necessária na empresa para implementação do Scrum em sua empresa.

Existem diversos livros que falam sobre o tema, alguns serão resumidos por mim em breve, mas se você tiver qualquer dúvida em como implementar scrum na sua empresa, equipe, dia a dia de trabalho, fala comigo, estou sempre disposto a ajudar e auxiliar pessoas a conquistarem seus objetivos gastando cada vez menos tempo e sendo muito mais produtivos 🙂

Texto Original: http://www.full-stackagile.com/2016/02/14/team-organisation-squads-chapters-tribes-and-guilds/

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo